sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

6º Capítulo - "Como não queres?"

(Maria)

Cheguei a casa e tinha a minha irmã numa pilha de nervos.

- Estava a ficar preocupada Maria.
- Calma Mel, já aqui estou.
- Tenho coisas para te contar mas primeiro quero saber como correu tudo.
- Com calma princesa, nós resolvemo-nos mas isto ainda é tudo muito recente, aliás acho que a minha reacção foi disso mesmo. Estamos ainda a conhecer-nos e pronto temos esta relação linda e não quero ficar sem ele por nada, apesar de muito pouco tempo que tenha a nossa relação. O que é certo é que um problema nunca vem só e agora o pai não gosta do Kun.
- Não gosta porquê?
- Os pais e a família do Kun já se conhecem, aliás o pai do Kun quis roubar tudo ao nosso e basicamente agora o pai não aceita o que temos.
- Roubar? Mas não temos nada para roubar mana.
- O restaurante, a casa enorme que temos lá e o dinheiro,..não somos propriamente pobres Mel e a situação deles era má e ele tentou mas pelos vistos acabou por fugir. Agora o Kun não tem culpa.
- Pois tens razão ele culpa não tem mas só o facto de estar ligado deve deixar o pai alterado, não sei. Devias falar com ele.
- Achas? És doida! Já não tenho o melhor dos feitios e ainda me queres meter a falar com o pai e por o Kun ao barulho?! Esquece, não ia ser bonito.
- Pois tens razão mas Maria tens de resolver isso.
- Eu logo penso nisso, agora e que tal irmos dormir que estou cheia de sono?!
- Sim vamos mas antes tenho uma coisa para te perguntar.
- Diz!
- Achas que sou boa médica?
- Ó Mel que estupidez é obvio que sim, mas que raio de pergunta essa.
- A pergunta faz sentido acredita, é que o processo do Navas, o jogador do City é estranho, existem mazelas que não são de todo lesões devido a treinos e no futuro podem trazer-lhe problemas mas não consigo perceber o que é, sinto-me estupida.
- Não sejas parva! És médica, não tens capacidade de ver o passado ok? Chama-o ao gabinete depois de um treino e tem uma conversa com ele, é o melhor.
- Sim tens razão, vamos lá dormir. Te quiero.

Não adormeci sem antes mandar uma mensagem ao Kun.

“Não nos vemos à quê?! 2 horas?! Estou mortinha de saudades, dorme bem, te quiero amor.”

***

Acordei com a minha irmã a chamar-me e a berrar para me despachar.

- Mel, nem penses, hoje não tenho aulas.
- Pois não, não tens, mas acho que te queres levantar para ir ver o treino do teu menino ou nem isso te apetece?
- Hum, boa ideia, gosto muito disso. – Disse a espreguiçar - Vou despachar-me num instante, espera por mim para comer.

Tomei banho e vesti-me o mais depressa que consegui. Desci para tomar o pequeno-almoço e a minha irmã já estava à espera à porta para sairmos. Agarrei numa maça e saí.



Chegámos às bancadas e sorri maravilhada quando vi os jogadores e especialmente o meu Agüero a sair do túnel em direcção ao relvado.



A minha irmã saiu a meio do treino para começar a trabalhar visto que o Navas começou a apresentar queixas de dores nas costas, e a Mel mais preocupada não podia estar.
Esperei pelo Kun na entrada do estádio quando se chegou a mim, levou as mãos à minha cara e deu-me um beijo.



- E essas saudades já passaram princesa?
- Achas que passa assim? Não és assim tão potente que faça passar tudo com um simples beijo. – Provoquei.
- Ai não sou potente?! Está bem então, vais ver como hoje te vais fartar de mim e dos meus beijos.
- Ui duvido muito mas aceito. Hoje tens planos amor mio?
- Não, mas passei a ter, contigo, vamos passear por Manchester pode ser reina?
- Vamos lá.

(Agüero)

Fomos almoçar a um restaurante pequeno que pelos preços era frequentado maioritariamente por pessoas como jogadores de futebol, presidentes, treinadores, e todas as pessoas que realmente tinham uma vida bastante boa. A Maria foi à casa de banho enquanto fiquei a escolher os pratos e voltou com uma cara de todo fora do normal.

- Amor, estas casas de banho falam!
- Falam?
- Sim, dizem que o papel está disponível, para me dirigir à torneira para lavar as mãos, mas que raio é aquilo?
- Óh reina, são restaurantes muito ricos, têm destas coisas, não te preocupes que não estava lá ninguém.
- Não é isso, só é estranho amor, mas calma lá ricos? Deixa-me ver a ementa.
- Eu já escolhi, o que queres ver?
- O QUÊ?! Pratos a quase cem euros e vinhos a duzentos e trezentos? Vamos comer ouro como prato principal e pérolas como sobremesa?
- És tão tola amor, e não te passes, é um mimo meu está bem?! Eu posso portanto não refiles sequer.
- Eu não refilo amor mas estes mimos são caríssimos há mimos bem mais acessíveis e melhores.
- Mas esses mimos ficam para depois tá princesa?
- Pronto já não digo mais nada vamos é comer que estou cheia de fome, espero que não tragam aquelas coisas pequenas no meio de uma prato com dois metros de diâmetro amor.

Não conseguia parar de rir e a verdade é que o que ela comeu mais foi mesmo a sobremesa pois era a única coisa que vinha “em boa quantidade”, palavras dela, sem dúvida que ela era quem puxava o que mais verdadeiro existia em mim, é especial, é perfeita.

Saímos do restaurante e passeámos pelos jardins mais bonitos de Manchester, fomos observados várias vezes e pediram-me várias fotos, até que me apercebi que a Maria estava a ficar realmente farta daquela situação.

- Amor desculpa tudo isto eu sei que era suposto termos o dia por nossa conta mas estas coisas fazem parte, desculpa, queres ir onde princesa?
- Eu não estou chateada amor, estou só com receio, são tantas a cobiçar aquilo que é meu, acho que a insegurança é normal em relações destas.
- Não é normal quando se trata da nossa relação princesa, quero que te sintas bem e sem medos, vou fazer o possível para que seja tudo perfeito.
- Mas eu não quero que seja tudo perfeito Kun!
- Como não queres?
- Quero que sejamos felizes com as nossas imperfeições, não quero tornar este namoro numa fantochada para as revistas, quero ter aquelas discussões normais naquelas alturas do mês, quero que me digas que estou insuportável mas que me amas e nunca me vais deixar, quero sentir ciúmes das tuas fans porque quer dizer que o amor que sinto por ti é real, quero que olhem para ti como lindo que és e que saibam que és meu, percebes?! É isso que quero, a perfeição dentro de toda a imperfeição que somos nós kun!

Não sabia o que dizer, naquele momento apeteceu-me abraça-la e assim o fiz. Larguei-a e decidi tirar-lhe uma foto, publicando-a em seguida no instagram.


"Nada me deixa mais feliz do que tê-la na minha vida, te quiero reina"

Dei-lhe um beijo e decidimos voltar para casa.

- Amor não me leves a casa, quero mimos durante a noite.
- Ui estás a oferecer-te para dormir comigo? Gosto tanto disso.
- Está masé calado antes que me arrependa, que mente a tua.
- Te quiero. – Beijei-a.

(Maria)

Chegámos a casa dele e entrei pelo lado do jardim para dar uma festa no cão dele, o Léo, um labrador castanho lindo de morrer. Quando me virei para entrar reparei que o Léo coxeava e chamei o Kun.

- Amor ele está a coxear.
- Mas ele estava bem hoje de manhã.
- O que é isto?! – De onde o Léo tinha saído estava um pedaço de papel no chão. Dei ao Aguero e ele abriu.
- É uma carta a dizer “eu voltei, afinal de contas sou teu pai”.
- Oh meu deus amor, vamos com o Léo ao veterinário e hoje ficas em minha casa.
- Vamos sim com o Léo ao veterinário mas tu vais para casa, ele pode fazer-te mal.
- Tu e o Léo vêm comigo! – Disse já irritada e nervosa.
- Não! Não quero que ele descubra onde moras percebes Maria?!
- Mas ele pode fazer-te mal ou não percebes?! – Berrei.
- Vai Maria, a serio.

Saí a chorar com o Léo a caminho do veterinário.



Bem meus amores este hoje é maior, espero que gostem e deixem os vossos comentários, besos!

4 comentários:

  1. Olá fiizinha!!
    Que dizer? Que o capítulo está LINDO e PERFEITO!
    Eles são tãoo lindos!! E perfeitos um para o outro!
    Amei a cena da casa de banho falar...fartei-me de rir!
    Depois aquilo que a Maria disse ao Kun foi a coisa mais linda!! *_* E tudo verdade!
    Agora não gostei nada desta ultima parte...não quero que aconteça nada ao Kun nem à Maria! Não sejas má por favor!
    E agora quero assim muittoo depressa o próximo!
    Besos!

    P.S.:És linda y yo Te quiero mucho!

    ResponderEliminar
  2. Comecei a ler a tua fic agora e amei <3 muito mesmo...
    Casal mais perfeito que este e dificil...
    A casa de banho a falar teve imensa piada... xD
    Eles sao tao romanticos e fofos, adoro
    Nao gostei muito do final do capitulo... :s
    Quero muito ler mais...
    Estou ansiosa a espera do proximo e rapidinho, por favor....
    Besitos

    ResponderEliminar
  3. Olá

    Ameiii *_* e quero muito o próximo :)


    Beijinhos

    Catarina

    ResponderEliminar
  4. Olá princesa!
    Bem então, vou começar o capitulo com algo óbvio: já tinha muitaaaaas saudades de um capitulo teu! Ora e agora o capitulo em si! Outra coisa óbvia: perfeição de capitulo, tal como todos os outros! Eles são simplesmente perfeitos juntos, e espero que apesar de todas as adversidades que surgirem continuem a sê-lo! Ai meu Deus bf, não sei se aquilo das casas de banho ''falarem'' existe mesmo ou não, mas juro que me fartei de rir! ''O papel está disponivel...'' ahahah
    As palavras lindas da Maria para o Kun foram extraordinariamente verdadeiras e lindas, maravilhosas! Todos dizem que querem a perfeição, mas se formos ver, a verdadeira perfeição de uma relação é exactamente o que a Maria pede! Por isso (e não só) é que acho que eles são e vão ser perfeitos até ao fim!
    Agora esta última parte... seria suposto ser uma noite fofinha, e virou isto! EU NÃO ACREDITO QUE AQUELE SENHOR FILHO DA MÃEZINHA DELE TEVE A LATA DE VOLTAR ! Espero bem que assim como resurgiu, desapareça tipo fumo no día a seguir!
    E por fim, uma coisa muito mais óbvia que todas as anteriores: escreves tãooooo bem bf, por isso volta a postar (ou deixa-me ler algo teu! ) muito rápido porque quero voltar a envolver-me nas tuas palavras como acontece sempre!
    Besos, Te Quiero Mucho Melhor Amiga <3

    ResponderEliminar